Páginas

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

Atutudes


Nunca se falou tanto em afeto, e no mal uso da palavra amor, há quem diga que no primeiro cruzar de olhos, houve a entrega, nunca houve tantos namoros e casamentos acabado em tão pouco tempo, famílias destruídas, livros de auto-ajuda enfeitando prateleiras e panelas vazias, a teorização das coisas e afetos irrita-me a ponto de não cair em cilada alguma, a não embarcar em relações pessoais e afetivas, pois o fim delas é sempre frustração e mal entendidos, nos fazendo "menor", se existe uma coisa na qual não se deve abrir mão?
Eu digo que da Vida.

Celso Andrade

2 comentários:

Robson Rogers disse...

Acho que se todas as pessoas tivessem uma idéia fixa do que é o amor e a paixão; e as suas diferenças e semelhanças entre si; não existiriam tantas pessoas acabando casamentos e compromissos em tão pouco tempo. O ser humano ainda se engana muito a respeito do que acha que sente. Mas se tivessemos certezas verdadeiras e acertadas; talvez não houvesse tanta graça; tanta adrenalina nas relações.

Pequenas Epifanias disse...

eu queria dizer algo... mais essas palavras mexeram tanto comigo, que simplesmente, fui tomanda pelo silêncio.