Páginas

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Entre poços e estrelas


A partida é sempre dolorosa, poderíamos pular essa parte, era impossível esquecer como pegávamos na mão, quando seu olhar fitava o meu , nossas bocas entreabertas descobrindo o mais claro sentimento humano, a incompletude no outro, a ausência que antes doía era esquecida com abraços e amassos, lá estava eu... inteiro, dentro do bonito que era ser correspondido, e eu era, sou todo o amor que posso.


(Celso Andrade)

4 comentários:

DeiSe disse...

Ahh...
[como reproduzir um suspiro, hein?]
Muito belo, Celso!

JoeFather disse...

Infelizmente não tem como pular essa parte, a separação entre dois corações sempre vai doer... ... demais! Então o remédio é viver sempre juntos!

Parabéns pela linda inspiração!

Abraços renovados!

Pequena Poetiza disse...

me permitindo ser tocada completamente
a partida é sempre cruel... pq nos fala de perdas e nós nunca queremos perder algo...
ás vezes a perda é só física mas ainda assim nos sentimos lesados.
deixa pra trás... deixar ir... são aprendizagens pra uma vida inteira e nem assim sei se aprendemos de verdade

beijos

Mistério do Planeta disse...

todos esses sentimentos...