Páginas

terça-feira, 20 de abril de 2010

Racionalizando afetos


Caio no poço outra vez,
depois.. ressurjo das cinzas
de algo quem um dia chamei afeto,
repasso os olhos onde
só houve sentimento
saio do poço pela "razão"
que não usei antes da queda
tento me afirmar na
lucidez da solidão natural,
de todas que obtive sucesso
dessa vez saio menos ferido
menos machucado da queda
a qual eventualmente cairei
se não souber consumir razão
na mesma medida a afetividade,
menos sôfrego e nunca amando menos
outra vez volto
a primeira palavra dita
o primeiro beijo com sucesso
o último abraço sem êxito
a entrega iludida a qual não percebi
e lá me encontrava
onde não era mais possível reparar
com toda audácia que permiti cair no poço
surjo renovado e menos humano,

volto a ser Eu novamente.


(Celso Andrade)

Um comentário:

Robson Rogers disse...

E não nos iludamos. Voltaremos a cair algum dia.. mas cada vez se terá mais experiencia em levantar. Até que um dia afinal; ou cairemos de vez; ou cairemos jamais!