Páginas

sábado, 12 de junho de 2010



















Partirei,
Não sei quando.
Só sei que vou.
Carregarei apenas um guarda chuva,
E um caderno em branco.

Terei o olhar de quem nunca esteve aqui,
Terei a alma de um dia que foi somente minha.
Partirei sem saudades...

Colocarei na mala amor, paixão, tristeza e solidão,
E a despacharei no rio mais fundo de mim,
Fui forte, e não pestanejei perante o medo.

Dobro como roupa as canções que você fez para mim
No mais silencioso espaço da mala...
Atiro-a para longe,
E assim...
Parto.


(Celso Andrade e Jenifer Carmo)

4 comentários:

Flávia Diniz. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Flávia Diniz. disse...

Perai que vou ali morrer e volto! hehehe

'Dobro como roupa as canções que você fez para mim'

Ameeeeeeeeei.

Beijos

Felicidade Clandestina disse...

meu poeta *.*

Ialy Darc disse...

como todos os poemas que tem aqui, LINDO!!!
cada vez me surpreendo com o que leio.

"Partirei,Não sei quando.Só sei que vou."
estou só aguardando meu momento de partir tbm...