Páginas

terça-feira, 12 de junho de 2012


No escuro vejo,
te vejo
Nos enxergo
num futuro-presente
ausência,
escorre devagar para não chegar logo o
presente-futuro
sem
ninguém.
Nós, eu e eu.


Celso Andrade


Um comentário:

Felicidade Clandestina disse...

é bom voltar a te ler :)