Páginas

segunda-feira, 16 de julho de 2012

E na estrada todos se perdem, aos que não mais serão lembrados. amigos de outrora, parceiros inesquecíveis não existirão mais além da imaginação do momento e da roda dos que nos acompanharam em carona ou surgiram pelo caminho. Já dizia meu "velho" esquecido no seu leito: Pega tua musica e vive, num canto ou a rodar o mundo como nômade, porque quando nada mais sobrar, nem amigos pra contar estórias você terá,  apenas a estrada e nenhum passado, só futuro e uma música para servir de consolo. Então assim estarás livre do ócio e seu astuto dom de desfazer sonhos.


Celso Andrade

4 comentários:

Júnior disse...

Celso... Fiz de td hj pra lembrar o nome do seu blog... e por sorte lembrei. Saudades dos seus textos. Abraços

celso disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Jr disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
TaTa disse...

Essas viagens sem destino, essas passagens para dentro de nós.
Bravo.