Páginas

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Fragmento de fé


Não era essa a vida que tinha pedido a Deus,
tão pouco a mornidão do cotidiano,
eu pedi uma vida simples não parada,
eu pedi alegria não a loucura da adrenalina
eu só tinha uma fé pequena e barata
e isso bastava pra mim, só uma fé
que me fazia acreditava nas coisas
e pessoas, no mais trivial do sentimentos,
Deus, eu só queria ter esperança.

Celso Andrade

2 comentários:

Camila BM disse...

Que lindo! Você escreve bem...! Adorei!

Robson Rogers disse...

E a esperança é a dor de não ver chegar aquilo que nos dispomos a acreditar que virá!