Páginas

quinta-feira, 7 de janeiro de 2010


As vezes aprisionamos o amor dentro de nós
e não deixamos que parta de dentro da alma,
quando o amado ja se foi e sofremos com o que ja está morto
e não deixamos espaço para que outro sentimento nos invada,
carregaremos pequenos cadáveres o resto da vida
e não será tranquilidade:sofrimento além da conta,
ciúme desnecessário, raiva, acabaremos sufocando a alma
e impedindo o ardor e a vertigem de amar novamente.

Celso Andrade

2 comentários:

Robson Rogers disse...

Apoiado! Indiscutível! A maior das verdades! :P

Mistério do Planeta disse...

essa nossa sintonia.