Páginas

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Escolhas

Aprendi a falar
usando e controlando
o silêncio
das palavras
não ditas.

Fechei os
olhos para
enxergar
o que estava
oculto
em pensamentos.

Deixei o amor partir
para medir o
quanto ele é
racional, ou se
sou eu que
ajo sempre pela
razão.

Celso Andrade

8 comentários:

Juan Moravagine Carneiro disse...

"O amor precisa ser reiventado"

Rimbaud

Até

Celso Andrade disse...

Será Juan?...

Neyva Daniella disse...

Conheci seu blog hoje, é maravilhoso.
Celso Andrade é você, um poeta!
Te sigo, feliz por ter me identificado com você

Neyva Daniella disse...

Posso postar um poema seu? É claro que indicando a autora e seu blog.
Abraço

Natalia Araújo disse...

Muito lindo, Celso...
é preciso deixar o amor partir... se é grande o suficiente, ele voltará com mais força e vigor.
Se petrificará dentro de nós e não irá querer sair.
Mas se não for... é nós que agimos pela razão.
Concordo.

Ahhh e sobre seu comentário. Realmente não tem fundamento uma coisa daquelas, não é mesmo?
Onde já se viu isso!? Respondi seu comentário em meu blog com mais detalhes.
Só dar uma olhada lá.

Grande poema o seu.
Parabéns.
Beijos.

Sandra disse...

lindissimo teu blog moço...
obrigada pela visita, volte sempre
bjs de boa noite

Neyva Daniella disse...

Postarei sim!
Acreditas que hoje estopu tentando desde cedo e não consigo, coisas do internet..............
beijo no seu coração

Felicidade Clandestina disse...

eu te amo.