Páginas

sábado, 20 de fevereiro de 2010

Poço Literário

Bebo no mesmo bar
que Drummond tomava pinga,
onde Mário Quintana
sentava para paquerar,
onde Virgínia Woolf
acalentava seus desesperos.

Ando na mesma rua onde
Clarice sentava para escrever.
Passeio pelas terras onde
Rilke viveu seus últimos
dias e toco no mesmo banco
da praça onde Cora fez
seu primeiro verso.

Celso Andrade

11 comentários:

Natalia Araújo disse...

Lindo poema!

Belíssimo mesmo.
Gostei daqui.
Muito bem elaborado... Voltarei...

Abraços.

Leca disse...

Celso...nesse poema só tem gente talentosa...
beijinhos

La Vie disse...

Olá Celso, grata pela visita no Blues Amor e poesia... Foi um prazer receber um poeta! Lindo seu blog, vou segui-lo! Julho estarei em férias em sua terra.
Abraço

Carmen La Vie

Solange Maia disse...

se bebes por esses bares, então tua alma é mágica, é linda, é para ser percebida...

beijo...

ela. disse...

Explicado está o resultado - poemas muito bonitos com influências de mestres.
Gosto de pensar nesse lugar, como um lugar imaginário.
Um beijo Grande

Eva Gonçalves disse...

Vim retribuir a visita. :) Gostei bastante dessa sua alma de poeta. Parabéns. Beijo

Sexo Verbal disse...

Só posso dizer que você freqüenta ótimos lugares.
Abraços,

Enfil, do Sexo Verbal

Tiburciana disse...

Lugares inspiradores so poderiam dar essa otimas palavras
bjos

Juan Moravagine Carneiro disse...

Agradecido pela visita ao Rembrandt!

E parabéns pelo seu espaço, retornarnarei com frequência!

Abraço

Flávia Diniz. disse...

Simplismente PERFEITO!


'Bebo no mesmo bar que Drummond tomava pinga'

:O

Beijos, querido.

Renata Braga disse...

Lindo teu blog Celso... teus poemas são sensíveis, puros e encantadores!

Adorei tua visita!
Volte sempre.....

Beijooooo