Páginas

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Meu coração? Um campo minado


à todos que um dia o amor bateu na sua porta e não escultaram seu singelo chamar.

Após tantas devaneios da personalidade e mudança de comportamento caio dentro de mim mesmo, avisto um cemitério de amores não correspondidos, amores desfeitos por conversas muda que foram contada na vizinhança, amores que apaguei da agenda o telefone, amores que sepultei com dor e desprezo, lançados ribanceira abaixo por silêncio e abandono, amores que esfriaram após a primeira transa, após a recusa da companhia à porta de casa, amores que fingi não reconhecer ao passar na rua, amores que menti a idade para parecer importante e maduro, alguma conversa cortada ao telefone, alguma carta rasgada, algum email deletado, dentro de mim guardo em silêncio todos esses cadáveres que ainda permanecem vivos carnalmente, porém sepultados dentro de mim, porque não dei chance, não percebi a oportunidade, deixei que o ego falasse mais alto que eu, indiferente permaneço com esses sentimentos amontoados onde um dia serei... solidão e tristeza numa varanda onde serei observado pelos corações onde passei e pelos amores que sepultei com minha personalidade fraca e depravada, porque o amor não manda bilhetes.


(Celso Andrade)

11 comentários:

Naty Araújo disse...

Amor chega quando a gente menos espera... será que isso é ruim?
Bom... Às vezes é, né? Mas não podemos lutar contra isso... só nos resta nos unirmos a ele.

Beijos... E entendo vc perfeitamente. E já voltou tudo ao normal?

Magda disse...

Que texto bom Celso!
A cada dia você me surpreende mais..
Lindo lindo lindo.

Pequena Poetiza disse...

quem de nós nunca viveu um pouco de algum desses amores que tu viveu... pq naum quase todos? ou todos talvez?

não amor naum manda biolhete nem sinal de fumaça
e nem sabendo ler braile vai ajudar
é de outra ordem que pensamento de bicho homem naum entende assim de cara no primeiro encontro.
leva tempo
pode até sangrar muito.
amor dói, mas amor cura.

beijos

Pequena Poetiza disse...

quanto ao meu post... pode deixar que a história vai continuar... nem sei quando... mas continua...

. disse...

meu filho, eu adorei seus poemas, já tinha vindo aqui uma vez, fiquei alegre por ter gostado do meu. Mas seus poemas são lindos, viu. chêro!

Thaís Duarte disse...

Adorei seu blog também, já estou seguindo =) Obrigado pelo carinho!
beijos :)

Cristiano Contreiras disse...

Caríssimo conterrâneo,

belo espaço teu, singelo e denso!

parabéns, nossos caminhos se encontram...te sigo!

Cristiano Contreiras disse...

Grato pela visita, já estou providenciando o link do seu blog no meu.

Te sigo aqui já, com louvor.

Sinta-se a vontade pra aparecer sempre que quiser, seguir também.

Vou te ler mais um pouco, ainda, hoje.

Ni ... disse...

Gostei daqui... voltarei...!

Beijo

Caroline disse...

opa! obrigada pela visita lá no meu canto, seja sempre bem vindo!
abraço
:)

ONG ALERTA disse...

Certo amor vem do coração, mas leva algum tempo, paz.