Páginas

terça-feira, 25 de maio de 2010

Elas

Senti um aperto no peito ao vê-la novamente
já não era mais a menina sonhadora de sempre
que um dia resolveu tornar-se cúmplice de uma amizade
era uma mulher madura carregando a doçura
e o peso do mundo na mesma medida que
seriedade, tristeza e vontade de viver.

O amor? Era mais pulsante, cheia de vida.

Para as mulheres da minha vida...


(Celso Andrade)



4 comentários:

Marcelo Vinicius disse...

Lindo texto!

Pequena Poetiza disse...

que coisa mais linda.

adorei o novo visual do blog.


beijos

Por que você faz poema? disse...

Rever, muitas vezes,
é conhecer finalmente.

Magda disse...

Que lindo, muito!
*-*