Páginas

domingo, 6 de junho de 2010

Para alguém além de mim



E então economizo gestos bruscos que possa o afastar, mas não escondo-me, nem uso maquiagem nos sentimentos aflorado, tenho cuidado ao pensar em você, tenho cuidado ao olhar sua fotografia, perco a naturalidade ouvindo sua voz dizer que o tédio e as horas demoram a passar, emudeço ente qualquer pensamento, imagino sua mão segurando o telefone como vidro-fino-para-não-quebrar-aquele-momento,
seguro de cá também um livro que fala sobre o desejo atrás de toda uma vida formada de pensamentos e imaginações que nunca aconteceram senão na mente do personagem, mesclado pela voz de Nana Caymmi ao fundo que dizia: Onde você estiver, não se esqueça de mim.
- Não, nunca... ( sua voz pesada de trovão recém acordado pronunciara)
- Perguntei: Não o que?
E a voz que me embalava do outro lado da linha misturava-se as vozes de Gal e Caetano no rádio, dizendo que sua Estupidez não lhe deixa ver, que eu te amo.
Num movimento brusco que é a palavra thau, nos despedimos oferecendo beijo.


(Celso Andrade)

3 comentários:

Marcelo Vinicius disse...

Muito bom o texto! As lusões entre as letras das música de Caymmi com a idéia do texto!

Parabéns!

Sil.. disse...

Celso, meu queridooooooooooooo!
Hj to tão emoçãoooo que enchi meus olhos d'agua ao ler esse texto, principalmente na musica da Nana. Por incrivel que pareça postei um trecho de uma musica dela no meu blog.
Hoje ouvi nana Caymmi o dia todoooooooo.
A emoção em ouvir a voz dessa mulher, as musicas dela que tanto mexem comigo e de certa forma marcaram épocas lindas da minha vida, me deixaram nostálgica.

Um abraço grande menino poeta.
Eu adoro voce!!!!

Lívs. disse...

poxa, mas que textinho gostoso de se ler.