Páginas

segunda-feira, 5 de julho de 2010

O amor é desumano, quem o inventou nos deu como praga, dele desfrutaremos, dele paderecemos toda e qualquer tipo de desgraça. Porque amor é droga sem limite de consumo. Quanto mais usarmos, mais teremos efeitos colaterais.


(Celso Andrade)

9 comentários:

Pedro Ivo Pires disse...

Parabéns Celso, belo site e palavras tocantes. Obrigado pela visita no outra persona.

Poderia postar algum de seus pensamentos em meu blog? ( com os devidos créditos, lógico)

Abraços!

Í.ta** disse...

o amor é fogo que arde sem se ver,
é ferida que dói e não se sente,
já cantava renato russo,
a partir do poema de camões.

grande abraço!

Magda. disse...

Com toda a sua licença, esse vai ser postado lá no meu blog.
Muito lindo meu amigo!

ƸӁƷBeautiful Butterfly WomanƸӁƷ disse...

O AMOR NOS CAUSA EFEITOS COLATERAIS DELICIOSOS!!!QUE VICIA MESMO...TODO DIA QUEREMOS AMAR E SER AMADA..AMEI!!!AMIGO OBRIGADA PELO SEU CARINHO EM MEU BLOG...BJUS!!!

Juan Moravagine Carneiro disse...

Belas palavras...

agradecido pela visita ao Rembrandt

abraço

Priscila Rôde disse...

E as vezes, o confudimos com a paixão.

Débora Panterellas disse...

"Porque amor é droga sem limite de consumo. Quanto mais usarmos, mais teremos efeitos colaterais."

Que lindo cara, você escreve muito bem! Estive lendo teu blog e reparando nisso. Parabéns!

Beijos :*

Pequena Poetiza disse...

e é do tipo de efeito colateral que se pode esperar qualquer coisa sem estar preparado pra nada disso.
amor nos dilascera e de alguma forma ainda assim insistimos nele...
nada me tira a idéia de que é justamente nossa parte masoquista que eles fisga.... pq todo mundo tem uma nem que seja escondida.

beijos

Magda. disse...

Celso, aquele texto é da Cáh Morandi.
Postei 2 dela.
Tô longe de escrever assim.