Páginas

sábado, 18 de dezembro de 2010


Escuto ópera sempre que vem a agonia, tenho poucas vontades além de ouvir ópera, gritar é uma delas, talvez cantar alto como se fizesse uma "limpeza por dentro", a pior delas é a falta de palavras, assuntos aos montes esperando alguém para discorrer, mais fujo afim de não aprofundar demais nas dores, dores precisam apenas de cautelas, mexer jamais, parar e observar quando se já é forte.


(Celso Andrade)

3 comentários:

Priscila Rôde disse...

"a pior delas é a falta de palavras.."

Agonia que parece não ter fim! Quase desespero!

deh ramos disse...

Olá, Celso! Também concordo com a ideia de que não se deve remexer muito nas dores. Mas o que fazer quando a mente age num impulso avassalador, lutando e passando por cima de tudo o que foi planejado?

Beijo grande.

Janaina Cruz disse...

A dor não é pior que a incerteza, e as palavras elas estão tantas vezes espalhadas e a nossa vontade de alcança-las se faz futura...
Amei o teu blog Celso, passo a segui-lo.
Feliz natal e um ano novo cheio de boas coisas....