Páginas

quarta-feira, 28 de abril de 2010

Fluídos de uma mente inspirada



Não é para os amantes os dias sombrios,
nem as plumas da noite que o elevam,
há os dias guardados de solidão e amor
que se reserva debaixo da cama onde é
sempre dia, onde há campos floridos debaixo
do vestido daquelas que o entram.

Não há sossego para os que tentam
entender seus corações de assombro e
rebeldia, onde seu mundo de sedução
os mantém preso entre sorrisos, dinheiro
e luxúria, pronunciando a mentira
dos lábios beijados na sua própria boca.

A sua única verdade vivida, é a mentirosa
que possui sua mente, seus dias ocos pelas ruas
ouvindo seu silêncio, tentando esquecer o passado
os fantasmas do coração, os sentimentos que assombram
seus dias pairando folhas onde rabisco lágrima,
sorrisos, abraços deixados para trás, enfeito letras
mudando a paisagem de um papel que é oco, vazio
e assombrosamente branco de tanta verdade, porém
fantasioso, nela faço o meu mundo.


(Celso Andrade)

5 comentários:

Juan Moravagine Carneiro disse...

Seus escritos são de uma sensibilidade e intensidade...Gosto da forma com que você dança com as palavras...

- Bela imagem

- Que seja o primeiro de muitos anos!

Abraço

Pequena Poetiza disse...

esses devaneios que causam arrepio e são tão reais que quase chegamso a acreditar em suas vidas dadas por nós.
e nem sei se posso chamar de mentira aquilo que criei e vivi. vivi como se de fato tivesse existido. e como não direi que existiu então?


coisa linda de se ler.


estou dando continuidade ao conto que vc leu lá no blog... =]

beijos

Mistério do Planeta disse...

já?


dia desses que você estava nos primeiros passos :)


meu poeta,
pessoa de coração puro e de tamanha sensibilidade.


por isso que eu te amo muito.
mais apareça, hahaha.

eu tenho saudades.

se não vim mais aqui, vou ficar com seus livros rs.


cuide-se.

me queira bem,
te quero bem.

Robson Rogers disse...

Simplesmente perfeito. Vai pro plumbum obvio. Parabéns por mais esse poema que nos presenteia e nos faz refletir sobre nossos sentimentos. Obrigado.

Marcos Campos disse...

Olá Celso!
meu, vc escreve muito bem, gostei daqui...voltarei!