Páginas

quarta-feira, 15 de setembro de 2010


Hoje não sorrio, não exercito boas maneiras, nem tento me socializar. Tento o silêncio, a visão individual do que Lya Luft chama afetividade, continuo gostando de mim e sei que é disso que nasce a vontade, e dessa vontade o impulso da mecanização moral e ética.


(Celso Andrade)

2 comentários:

gorettiguerreira disse...

Consigo sentir o sentimento de suas palavras, Celso.
Bjs de luz.
Goretti

Daaý Brunett´S disse...

O querido Celso, sorria, mesmo triste...
a vida tem coisas ruins mas tem boas tambem...
[Desejo que o sol brilhe mesmo quando for noite em seus pensamentos]
Um beeeijo carinhoso =*