Páginas

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Não há espaço para ódio nem ressentimento, sofrer é ultrapassado, o que eu quero mesmo não existe, coisa insana mesmo de quem não tem onde depositar sentimento pelo mundo, esse que mesmo não sendo acolhedor contru-o estradas e onde menos esperar lá estarei eu com meu lirismo.


(Celso Andrade)

3 comentários:

Sheila S.S. disse...

Oi, Celso! Tem um selinho para ti, lá no meu blog. Abraços.

Maria Rita disse...

Que lindo por aqui, por certo voltarei!

Beijos pra Ti

Priscila Rôde disse...

"Não há espaço para ódio nem ressentimento, sofrer é ultrapassado, o que eu quero mesmo não existe..."

Tão bom Celso, que twittei! rs